Thiago Braz fala de preparações para próximas competições e sobre a evolução de seus treinos

Após um extensivo período em quarentena, devido a pandemia do novo COVID-19, Thiago Braz voltou a treinar, exercitando-se no CONI (Comitê Olímpico Nacional Italiano) com todos os cuidados necessários. A evolução do atleta evolui de forma gradual, enquanto ele projeta os próximos desafios futuros.


Thiago passou uma grande parte do ano de 2020 isolado com sua esposa, por conta da crise do coronavírus. Não podendo parar, mentalizando os desafios do atletismo que teria no futuro, decidiu adaptar seus treinos para realizá-los em casa, focando em não perder a forma. Agora de volta à pista, ele conta que voltou a treinar 100% dentro do CONI, além de ter “total liberdade de fazer todos os exercícios de uma preparação necessária de um atleta.”
O atleta conta que está aprimorando o seu salto com vara, cada vez mais. Junto de seus preparadores físicos, o foco dos exercícios está em ganhar o ritmo perdido no período sem treinos e aperfeiçoar novas técnicas de corrida, carregamento da vara até o encaixe, saltos e ginástica aérea.
Para Thiago Braz, a parte mais difícil da retomada pós-quarentena está no ritmo de treinamento. “Acho que recuperar o condicionamento físico no quesito corridas de longas distâncias e a sensibilidade com o ritmo que já havíamos conquistado foi o mais difícil. Voltamos um pouco e demos continuidade. Passando uma ou duas semanas, no máximo, conseguimos entrar em um ritmo e foi isso.”


Entre os conselhos que seus preparadores Vitaly Petrov e Elson Miranda destacam nos treinos, a hora do salto é sempre o ponto mais realçado.
“É uma parte que estou melhorando, nesse período de agora. A transição entre a corrida e o salto, que quando colocamos a vara no encaixe. Aquele momento é muito importante. É um momento em que não podemos perder nenhum tipo de atenção, tensão no corpo, elasticidade, força e posicionamento, ao mesmo tempo. Essa é a parte que estamos mais trabalhando e colocamos como a mais importante”, explica Thiago.


A mentalidade do atleta e seus técnicos está nas próximas competições. Cada treino realizado serve de preparação para o fim desse ano e para 2021. “Tudo isso é uma preparação para 2021. Competiremos poucas competições neste ano, até mesmo por não termos a possibilidade, já que tudo está parado. São poucos os países que farão competições, mas temos umas 4 ou 5, ainda este ano. Algumas serão Diamond League e servirão como testes, para nos prepararmos para o ano que vem.”


O trajeto já está planejado e montado para que Thiago Braz mande bem durante o resto do ano, retome sua boa forma física e evolua mais ainda em 2021, competindo para dar o seu melhor em todas as competições futuras, além de buscar o ouro nas Olimpíadas de Tóquio. O brasileiro seguirá na Itália, treinando e se cuidando, com seus objetivos em mente.
“Meu maior objetivo, neste momento, é centralizar tudo que preciso para saltar alto, colocando todas as coisas em seus devidos lugares. Nesse momento, tenho total aval e ajuda para que eu possa focar somente nos meus treinos e tentar saltar além do meu recorde pessoal, que é de 6.03. Esse é um dos maiores objetivos que tenho, além das Olimpíadas.”