Marina Werneck fala sobre a nova modalidade do surfe nas Olimpíadas 2020 e sobre o esporte na gravidez

Freesurfer e embaixadora do surfe feminino, a surfista Marina Werneck, falou sobre a importância da integração do surfe nos Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio. Os jogos começam no dia 24 de julho, com brasileiros e brasileiras no ranking mundial.

4 surfistas conquistaram vagas nos jogos Olímpicos. 2 no masculino para Ítalo Ferreira e Gabriel Medina e 2 no feminino para Tati Webb e Silvana Lima. Para Marina Werneck, a inclusão do surfe nas Olimpíadas de Tóquio é um passo importante para o mundial.

“Fiquei muito contente em ver que agora veremos atletas pegando ondas nas Olimpíadas. Fiquei mais feliz ainda de ver esses grandes atletas brasileiros na competição, tanto no masculino quanto no feminino. Estou ansiosa para assistir e estou torcendo muito para eles,” disse a freesurfer.

Enquanto espera para acompanhar as Olimpíadas, grávida há oito meses, a surfista está prestes a dar luz a uma menina. Mas, apesar do barrigão, Marina continua com sua rotina esportiva e de exercícios.

“Continuei surfando e treinando, com um ritmo mais lento, mas ainda superativa. Senti que retomei minhas energias no segundo trimestre e aproveitei que estava me sentindo superbem e aproveitei minha rotina, me adaptando ao meu novo corpo. Eu consegui manter uma rotina mega saudável e surfei até o sétimo mês,” disse a futura mamãe.